evão do caminhão

nos momentos cruciais... estacione seus neurônios e acelere seus hormônios

quinta-feira, maio 21, 2009

TODOS SE AFASTAM QUANDO O MUNDO ESTÁ ERRADO QUANDO O QUE TEMOS É UM CATÁLOGO DE ERROS

Ontem tive em minhas mãos o livro censurado do 'careca'. O livro é excelente, o único problema foi ter sido indicado de forma equivocada para a faixa etária de 3ª série. Mas muito me chocou ao ver junto com o tal "livro de futebol" o "Coisas" do Arnaldo Antunes. Fiquei puta com metade das professoras que criticavam sem argumentos convincentes os textos brilhantes do meu querido.

Não vou entrar novamente na discussão do que é 'feio', 'pesado' e 'violento' pras crianças. Basta ver o Lobo Mau comendo mulherada geral e a Cinderela que é amputada na versão original. Tenho infinitas histórias para narrar, mas acompanhem a pérola que descobri essa semana na educação infantil (já estava na biblioteca há tempos, devidamente aprovado e recomendado pelo MEC):

Eram três filhas de um rei.
Todas três eram belas.
A mais bela de todas
Eredegalda chamava.

Um dia, seu pai lhe disse:
-Se quiseres casar comigo,
Serás a minha esposa,
E tua mãe, nossa criada.

-Isso não, querido pai,
Isso não pode ser,
Prefiro ficar fechada
Do que ver minha mãe criada.

Então o rei mandou construir três torres
E trancou Eredegalda dentro.
Só poderia comer carne salgada
Sem beber um copo d'água.

Eredegalda saiu chorando,
Chorando lágrimas de sangue.
Subiu à primeira torre
Para ver quem avistava.

Avistou suas irmãs,
Que na praia passeavam,
E disse: - Irmãs queridas,
Vêm me dar um copo d'água.

-Não lhe damos um copo d'água,
Pois papai já nos jurou
Pela ponta da sua espada
Se te dermos um copo d'água.

Eredegalda saiu chorando,
Chorando lágrimas de sangue.
Subiu à segunda torre
Para ver quem avistava.

Avistou a sua mãe,
Que na sala descansava,
E disse: -Ó mãe querida,
Vem me dar um copo d'água.

-Não lhe dou umpingo d'água,
Pois seu pai vai me matar,
Com a ponta da sua espada,
Se eu te der um copo d'água.

Eredegalda saiu chorando,
Chorando lágrimas de sangue.
Subiu à terceira torre
Para ver quem avistava.

Avistou o triste pai,
Que num jardim de rosas passava,
E disse: -Ó querido pai, o favor
De me darum copo d'água.

-Não te dou um copo d'água,
Pois tu não quiseste ser minha.
Serias a minha amada;
Tua mãe nossa criada.

Eredegalda saiu chorando,
Chorando lágrimas de sangue,
E disse: - Pai, se é a mim que tu queres,
toma lá minha mão esquerda.

Vou mandar três cavaleiros,
Cada qual com um jarro d'água.
Aquele que chegar primeiro
Casará com Eredegalda.

Todos três chegaram juntos
Mas Eredegalda já estava morta,
Acompanhada de quatro anjos
E Jesus perto da porta.

* Essa nem Freud explica *

Marcadores:

4 Comments:

  • At 3:04 PM, Blogger Claudio Yida Jr said…

    Na favela em que todo mundo é meio primo então... hahahahahahahhahahaha.

    Se bem que a gente pode substituir essa putaria com ex-presidente da República que esconde filho bastardo, assim como governador que tem casamento de fachada e fica de chêra-chêra com subprefeita...

     
  • At 9:34 PM, Blogger Taís said…

    bege. ou beje?

     
  • At 5:10 PM, Blogger Keila said…

    Pra quem quiser escutar a música:
    http://www.goear.com/listen/a246057/a-triste-historia-de-eredegalda-jose-mauro-brant

     
  • At 1:48 PM, Anonymous Anônimo said…

    Pra mim isso é nitidamente um conto católico lúdico. O pai, deveria estar escrito "Pai", ele é Deus. Eredegalda é a filha rebelde que não o aceitou e se converteu (casou).

    Ela relutou. Deus em sua misericórdia deu uma segunda chance, mas era tarde. E ela morreu vítima da 'sede', mas devido aceitou sua conversão, foi devidamente acolhida por Jesus e pelos anjos.

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home