evão do caminhão

nos momentos cruciais... estacione seus neurônios e acelere seus hormônios

sexta-feira, novembro 19, 2010

É A MINHA VIDA. É AGORA OU NUNCA. EU NÃO VOU VIVER PARA SEMPRE

Um pouco de Evinha - especial de aniversário:

Tricolor até a última fibra do meu estômago ulcerado.

Cada dia mais autista. O contato com pessoas tem me deixado muito nervosa.

O Uno é o único carro que penso que vou dirigir até o fim dos tempos.

Não sei se gosto mais do azul ou do vermelho, então fico com o roxo.

Viciada em televisão.

Apreciadora compulsiva de cerveja.

Não suporto falar ao telefone, mas passo o dia enviando mensagens de texto.

Sofro de ciúme patológico.

Escorpião em estado bruto.

Vingativa.

Ando muito sem filtro para falar coisas e não sei até quando não sofrerei consequências disso.

Até tento, mas não consigo olhar cobrança de pênaltis.

Tenho obsessão por esmaltes variados desde antes de virar moda.

Gosto de coleções. Tenho de cartas, canetas acabadas e sucata. Qualquer dia apareço num desses documentários de pessoas que guardam lixo.

Não sei jogar truco, mas sempre ganho no buraco.

Possuo muitos cadernos de frases (citações de livros, filmes, músicas, seriados, novelas, amigos...). Sempre achei que os outros explicam a minha vida melhor do que eu.

Acho que estou gostando de dar aula de novo. E agradeço imensamente minhas amigas de trabalho que sempre me lembram quem fui, quem tenho sido e quem eu posso voltar a ser.

Não gosto de criança.

Não gosto de vagabundas que se acham íntimas.

Devoro livros.

Paciência? Parece tipo assim com o que?

Pés e mãos sempre gelados.

Pontuação extremamente baixa no teste "você tem ambição?".

Não tenho memória, embora minha mãe insista em dizer que o que eu não tenho mesmo é atenção. Pode ser.

Passo mal em discussões, mesmo que não esteja envolvida nelas diretamente.

Enjoei do Glee, mas continuo viciada em One Tree Hill. Choro ou fico em suspense TODO episódio há 7 temporadas.

Ansiedade é meu sobrenome.

Pinto o cabelo por necessidade, não mais por estilo. O que continua igual é a pintura da testa e das orelhas.

Adoro dar e receber apelidos e o fato de ser politicamente incorreto me faz gostar ainda mais.

Não acredito na igreja nem nos partidos políticos, mas vira e mexe acendo umas velinhas e não anulo mais meu voto.

Gosto muito mais das coisas em papel, mas tô me esforçando pra entrar pra valer no século XXI.

Certas coisas no uso da internet me dão muuuuuuuuuita gastura.

Me sinto bem quando me acham engraçada.

Não tenho sorte.

Tenho um olho de cada cor e ambos são mutantes de acordo com o humor.

Gosto de frutas aguadas e não curto bolacha.

Fiquei sabendo que tem 3 tipos de TPM. Eu devo ter os 3 e mais uns 8.

Sou hipocondríaca.

Gosto das minhas tetas, mas não gosto da minha pança.

Vomito sempre que estou nervosa.

Só tenho amor e respeito por quem admiro.

Não suporto gente burra, embora venha me tornando uma delas.

Me sinto privilegiada por fazer parte de uma família trabalhadeira e honesta, mesmo sabendo que a virtude de dar mais do que receber nunca nos levará muito longe nem tampouco trará vantagens.

Aprendi amar muitos homens em um só e estou feliz com esse fato inédito.

Tenho honra em ser a Evorthos das Mosqueteiras.

Penso que meus afilhados me ensinarão mais coisas do que eu a eles.

Sou ninfomaníaca.

Tenho muitas lombrigas dentro de mim.

Adoro sorvete, especialmente aqueles picolés aguados e cheios de corante.

Eu sempre tenho razão.

Estou ficando careca dos lados da cabeça. A cabeça de baixo também continua careca!

Não sei se sou bruxa, mas me impressiono fácil com as coincidências e me hipnotizo com a lua cheia. Auuuuuuuuuuuuuuu.

Gosto de pensar que contribui para a formação moral e etílica das Perucas.

Sofro de dores intensas na alma.

Tem uma planta em casa que só dá flor na semana do meu aniversário. Esse ano o pedreiro jogou o vaso na caçamba depois da reforma da casa, pois achou sem graça algo tão puramente verde. E ainda que miserável, 1 único botão veio me presentear nesse novembro.

Tenho uma imaginação gigantesca, mas acho que seria mais proveitoso usar na criação de um livro de contos e não na vida real. Consigo criar verdadeiros dramalhões mexicanos em poucos minutos.

Possuo zero poder de síntese.

A vida toda afirmei que morreria aos 33 anos. Uma coisa meio Jesus. Então... aproveitem bem esse último possível ano de convivência terrena comigo.


Marcadores:

5 Comments:

  • At 9:57 AM, Blogger Craudio said…

    Me sinto privilegiado de saber um pouquinho disso tudo. Só discordo da meta de duração da vida.

    Parabéns, neguinha! Amo um monte.

     
  • At 6:55 PM, Anonymous luzis said…

    tão bom fazer parte da sua vida... te quero sempre na minha também!!!! continue arrasando!!!!

     
  • At 9:10 PM, Anonymous Anônimo said…

    evinha, que bacana você contar tantas coisas de você!! adorei saber! você viverá muitas vezes a idade de Cristo!!!! Parabéns minha amiga! Um beijo. Te adoro!!
    Bê maria

     
  • At 5:11 AM, Anonymous Fofis said…

    Ok!!! Não concordo com a sua data de validade!!! De resto, tudo é muito verdadeiro e foi o q sempre me encantou e me fez e faz te Amar!!!

     
  • At 10:55 AM, Blogger Taís said…

    ah, todo mundo comentou e eu ando muito do contra mesmo. deve ser o inferno astral

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home