evão do caminhão

nos momentos cruciais... estacione seus neurônios e acelere seus hormônios

segunda-feira, julho 16, 2012

SOMOS TODOS PERFEITOS ATÉ QUE ENCONTRAMOS OS OPOSTOS

Os opostos só se atraem e obtêm sucesso nos seriados de TV e na física. Nos relacionamentos, tudo funcionaria bem mais fácil se cada um ficasse com o seu cada qual. Todos devidamente organizados por time de futebol, partido político, religião, beleza, estilo musical...

No entanto, o que funcionaria de forma tão perfeita só poderia ser considerado uma dádiva, algo que viria de graça, não exigiria esforço algum e deveria ficar chato e sem desafio. De fato, acredito que os erros é que fazem a diferença (os anos de magistério não me deixam mentir).

"As grandes sociedades se odeiam!". Não houve na história um só caso de avanço ou mudança sem que opostos estivessem na dianteira. Ficar com seu oposto é querer mover o mundo para o embate, para a reflexão, para a crítica e o confronto que impulsionam sempre em frente.

Talvez amar o inimigo seja se achar super-herói, pensar na possibilidade de mudar alguém, deixá-lo mais parecido com você ou simplesmente sentir que pode transpor seus próprios limites até então desconhecidos. É ficar entre o masoquista e o heroico.

Amar o oposto é como se fôssemos o príncipe escalando a torre da Rapunzel. No início vemos só a parte bela e exótica do cabelo e desejamos ver o desconhecido que está por trás da bela voz encantadora; de repente, no meio do trajeto caímos nos espinhos e ficamos cegos, dotados apenas parcialmente de nossa percepção. Então cegos, percebemos que a verdade tem um som diferente. Passamos a amar não uma música com acordes e harmonia perfeitos, aprendemos a amar até doer as mais tolas e bregas das canções desafinadas, simplesmente por estarem próximas e fazerem parte da trilha sonora das nossas vidas.

Você escolhe não viver uma fantasia, escolhe morrer e matar um pouquinho por dia. Mas viver assim é sinônimo de heroísmo ou egoísmo, coragem ou fraqueza?

"Sou uma pessoa melhor quando estou com você porque me vejo da forma como você me vê". Amar o igual é como se olhar no espelho e ver o melhor de si. Só que amar o oposto é como estar na sala de espelhos do Playcenter: às vezes você está baixa, alta, gorda, estranha... enfim, sempre distorcida demais  e nunca adequada aos padrões esperados.

O dito popular diz que o oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença. Um escritor brasileiro escreveu que os opostos se preservam mais, pois sabendo das diferenças, cuidam para não ferir o outro na briga. No parachoque do caminhão estava que os opostos se distraem e os dispostos se atraem. E ficarei com o final feliz do escritor importado: "É como se a vida fosse uma luta livre. E sabe qual lado vence? O amor. O amor sempre vence!"


"APESAR DOS PESARES, APOSTO NOS OPOSTOS"


Marcadores:

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home