evão do caminhão

nos momentos cruciais... estacione seus neurônios e acelere seus hormônios

sexta-feira, fevereiro 24, 2012

A GENTE SE OLHA, SE BEIJA, SE MOLHA... DE CHUVA, SUOR E CERVEJA


Usei como desculpa a tal história do fim do mundo e disse ao Japonês: "não posso morrer sem ver o Galo da Madrugada". O kamikaze, como sempre, se jogou de cabeça na ideia e logo tratou de resolver a parte logística da viagem.

Estamos há meses celebrando o carnaval, só que preciso chamar atenção para um detalhe: fizemos tudo embaixo de intensa chuva. Sambamos e marchamos na chuva da Vila Maria, do Cambuci, do Butantã, da Barra Funda etc. Então, quando fechamos a viagem para o nordeste, tínhamos uma única certeza: SOL!!! Protetor solar 50 comprado e lá vamos nós... Pisamos em solo pernambucano e.......... CHUVA! Aê!! Fez total sentido, já que estávamos na terra da sombrinha. "Acho que a chuva ajuda a gente se ver. Venha, veja, deixa, beija, seja o que deus quiser!"

E como tudo o que acontece embaixo da chuva vem com energia extra, vivi um dos melhores carnavais da vida. Acho que o corredor Recife - Olinda possui tudo o que preciso pra ser feliz nessa data. Resumindo:

1. Tem algo sobrenatural que emana do chão, do céu, do povo e dos tambores como em Pirapora (sem o cheiro do Tietê);
2. Tem os infinitos blocos que surgem de todas as partes da cidade com todo mundo fantasiado como no Rio de Janeiro (sem os cariocas);
3. Tem a perna cansada, os beijos, o fervo e o caldinho como em Ouro Preto (com ladeiras bem mais suaves e muito mais ingredientes no feijão);
4. Tem os trios elétricos de famosos como em Salvador (sem muvuca, abadá e cordinha te amarrando).

Pra começar a alegria
Ganhamos uma hora de folia
Já que lá não tem horário de verão
Entramos mais cedo na confusão



Não existe Brahma por lá. Ou melhor, existe, mas essa azulzinha estranha aí que mais parece água mineral.

Ou a tal Proibida...
Ecat!

Ficamos no latão de Skol, cujo preço variava entre R$ 2,00 e R$ 2,50!!! Pena que esquentava em 30 segundos.



O que encantou mesmo essa minha alma lombriguenta foi a quantidade por metro quadrado de alimentos deliciosos, mas que fazem mal. Logo de cara comi tapioca, cachorro-quente (esquentado no microondas!?), milho verde mergulhado numa água imunda, refeições completas com tempero forte e caldo de feijão. PAUSA...

Pedi o tal cadinho pra reanimar no fim da primeira noite e nada da mulher me dar o copo minúsculo. Quando comecei comer achei lá dentro: azeitona, milho, carne, torresmo, camarão, ovo de codorna e claro... feijão preto. kkkkkkkkkkkkk

Domingo tive que parar pra recompor o corpo que não aguentava mais filtrar tanta tranqueira dentro.

Que fique claro que chuva não significa frio e muito menos que o sol não estava queimando. Durante a viagem adquiri um maravilhoso bronzeado craquelado. De dia, aquele calor infernal; à noite o ar condicionado ligado no talo, chegando a criar estalactite. Acordava no susto com a testa repuxando. Nos dias posteriores estou com um bronzeado estilo sorvete napolitano: tem pele branca, rosa e marrom.

Momento fã clube!!! Tive que limpar os olhos e pedir pro Japonês me beliscar quando olhei descontraída para o lado e dei de cara com Joelma e Chimbinha a pouco mais de um metro. Comecei a gritar "linda!!!", "Chimbinha, você é o melhor guitarrista do Brasil!!!" kkkkkkkkk Mas o melhor mesmo foi ganhar um coração feito pelas mãozinhas da Luiza Possi. Inesquecível... s2!!! Por outro lado, quase gorfamos ao ver as plásticas tão de perto...

Andamos por entre os becos, andamos em coletivos, mas fui impedida de comer caranguejo em plena Manguetown! :(

Acho desnecessário falar dos bonecões de Olinda. Vê-los todos reunidos na 3ª feira foi algo que nem eu que sou uma pessoa sem memória hei de esquecer. Os caras parecem que te miram nos olhos e te enxergam na alma.

Nos despedimos de Pernambuco tomando na cara a brisa da Praia de Boa Viagem. Não encontramos La Belle de Jour porque era meio-dia de uma quarta-feira cinza!

Na volta, quase deu pra ver o pôr-do-sol na estratosfera. Deu tempo só de observar o arco-íris gigante se formando antes da comandante Karina (aê, primeira pilota mulher que viajamos!) segurar o avião no muque entre as tempestades e turbulências que nos acompanharam até aqui.

Sei que é batido e cafona, mas quando termina o carnaval gosto de desejar Feliz Ano Novo! Em 2012 será com direito a sorte extra do zodíaco Chinês, com o poder do dragão, assim como Recife nos recepcionou no Marco Zero..


P.S. Falta muito pra Festa Junina?


Marcadores: , ,

2 Comments:

  • At 11:51 PM, Blogger Taís said…

    nem consegui terminar de ler. de tanto ciúme

     
  • At 2:49 PM, Anonymous Rafael Soares said…

    Este ano fui pela primeira vez ao carnaval carioca. Adorei! Porém, sou completamente apaixonado pelo Carnaval Pernambucano! Nada supera os blocos e as marchinhas de frevo. Toda vez que desembarco no Aeroporto Internacional dos Guararapes tenho que dizer: "Voltei Recife, foi a saudade que me trouxe pelos braços".

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home