evão do caminhão

nos momentos cruciais... estacione seus neurônios e acelere seus hormônios

quarta-feira, dezembro 22, 2010

SÃO TANTOS LUGARES PRA DESCOBRIR ATÉ ENCONTRAR NOSSO CAMINHO NESSE CICLO SEM FIM



2003 - Na Cidade Nova havia uma Escola de Latinha no meio da favela onde todo mundo vivia feliz, apesar do calor infernal.


Tínhamos sala ambiente, um parque cheio de cocô, mas muitas ideias na cabeça, o coração sereno e sorrisos largos no rosto. Tinha corda feita de jornal, balança de toco de madeira, competição de natação no azulejo do chão, muita música, tinta...



2004 - Derrubaram nossa lata, nos colocaram dentro da Funerária da Prefeitura.





Até a Dona Marta do PT gostava de dar as caras por lá.


Carregamos tudo na mudança à pé, de carrinho e claro: de caminhão!





Construíram salas em madeirite...


Enfeitamos tudo e não perdemos a capacidade de nos divertir muito e nem de divertir (e assustar) os pirralhos. Usamos muitas pétalas de flores doadas pelo serviço funerário em todas as festinhas escolares. Até de bomba tivemos que correr com 200 crianças!

Além da Funerária usamos outros espaços da comunidade: igreja, escolas vizinhas, a cooperativa de reciclagem...











2005 - Chegou o material pra nossa Escola de Tijolo. E a reforma que começou em agosto de 2004 durou uma eternidade. Os moradores diziam que o fim da obra também seria em agosto... A GOSTO DE DEUS!

Enquanto isso continuávamos na Funerária... com a estrutura desabando sobre nossas cabeças, com ratazanas enormes invadindo nossos armários e comendo todo o material...




Mas continuamos criando, brincando, fazendo teatro, usando fantasias por dentro e por fora, ganhando as benditas flores...



As famílias sempre muito presentes e atuantes.

No estacionamento que precisamos pagar nesse ano tinha até a...








2006 -Acabou nosso período funerareano
e quem resolveu aparecer quando a escola ficou pronta?

O prefeito...


e o povo pra protestar!

Tá achando que todo mundo acredita?











Aí falou em protesto, tem mais gente que gosta de ir pra treta...



Só que apesar de tudo muito belo, as coisas começaram ficar estranhas...

A porta do banheiro recém-construído não abria corretamente...




A sala de informática até hoje não funcionou...



Mesmo assim plantamos nossas primeiras sementes no terreno duvidoso...



2007 - E quando assumimos de vez a escola nova eu comecei a encolher... As coisas foram perdendo um pouco da graça.



Sempre havia as amigas levantando...

Mas os dias ficavam cada vez mais longos...

2008 - Sacando forças pra aprender mais do que ensinar... tirando milagres de dentro da cartola!


2009 - Nossos teatros ficaram profissionais, burocráticos e eu não quis mais participar...



...mas mesmo quando a rotina tentava me derrubar, eu até caía, mas ainda havia alguém pra me levantar...


2010 - Fiquei vazia... de vontade, de criatividade, de amigos, de afagos, de apoio, de fotos e de coragem!


Então eu percebi que dessa PRÔ EVA que restou eu não gosto. É hora de dizer tchau! Buscar outras terras mais férteis pra replantar a semente... ou para simplesmente ser podada pra recomeçar a vida nessa véia árvore que ainda pode dar bons frutos!

Marcadores: , ,

1 Comments:

  • At 8:57 AM, Blogger Craudio said…

    Tô gostando que você está se desapegando, porque nesse caso é até uma necessidade. Tudo o que você fez tem e terá duração por um bom tempo. Agora é hora de ser feliz num outro canto e moldar mais cabecinhas.

    Orguio!

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home