evão do caminhão

nos momentos cruciais... estacione seus neurônios e acelere seus hormônios

sexta-feira, dezembro 21, 2007

ENTRE DOIS AMANTES, É PRECISO HAVER DIFERENÇAS A APAGAR, DISTÂNCIAS A PERCORRER



Para meu japinha e para todas as balzacas que completarão 30 em 2008 e acreditam que "carne nova é muito mais macia:










Uma mulher de 30 anos possui atrativos irresistíveis para um homem jovem. Com efeito, uma jovem tem ilusões demais, é inexperiente demais e o sexo é cúmplice demais de seu amor, para que um rapaz possa sentir-se lisonjeado; ao passo que uma mulher conhece toda a extensão dos sacrifícios a serem feitos.

Enquanto uma é arrastada pela curiosidade, por seduções estranhas às do amor, a outra obedece a um sentimento conscencioso. Uma cede, a outra escolhe. Essa escolha já não é uma imensa lisonja?

Armada de um saber obtido quase sempre ao preço de infelicidades, a mulher experiente, ao entregar-se, parece dar mais do que ela mesma, ao passo que a jovem, ignorante e crédula, nada sabendo, nada pode comparar nem apreciar; ela aceita o amor e o estuda.

Uma nos instrui, nos aconselha numa idade em que gostamos de deixar-nos guiar, em que a obediência é um prazer; a outra quer aprender tudo e mostra-se ingênua, enquanto a mulher experiente é terna.

Aquela nos oferece um só triunfo, esta nos obriga a combates perpétuos. A primeira só tem lágrimas e prazeres, a segunda tem volúpias e remorsos. Uma jovem só será amante se estiver muito corrompida, e então a abandonamos com horror; ao passo que uma mulher tem mil maneiras de conservar ao mesmo tempo seu poder e sua dignidade.

Uma, demasiado submissa, oferece-nos as tristes seguranças do repouso; a outra perde muito para não exigir do amor suas incontestáveis metamorfoses. uma desonra-se sozinha, a outra destrói em seu proveito uma família inteira.

A jovem conta apenas com sua coqueteria, e acredita ter dito tudo quando tirou o vestido; mas a mulher possui incontáveis atrativos e oculta-se sob mil véus; enfim, ela acalenta todas as vaidades, enquanto a noviça só acalenta uma.

Aliás, na mulher de 30 anos agitam-se indecisões, temores, dúvidas e tempestades que jamais ocorrem no amor de uma jovem. Ao chegar a essa idade, a mulher pede a um homem jovem para restituir-lhe a estima que lhe deu; vive apenas para ele, ocupa-se de seu futuro, deseja-lhe uma vida bela, ordena-lhe que seja gloriosa; obedece, implora, comanda, curva-se e eleva-se, e sabe consolar em inúmeras ocasiões, enquanto a jovem apenas sabe gemer.

Enfim, além de todas as vantagens de sua posição, a mulher de 30 anos pode fazer-se jovem, representar todos os papéis, ser pudica, e inclusive tornar-se mais bela com uma infelicidade. Entre as duas há a incomensurável diferença entre o previsto e o imprevisto, a força e a fraqueza.

Porque na bela idade dos 30 anos, culminância poética da vida das mulheres, elas podem abarcar todo o curso dessa vida e enxergar tanto no passado quanto no futuro. As mulheres conhecem então o valor do amor e o usufruem com o medo de perdê-lo: sua alma tem ainda a beleza da juventude que as abandona, e sua paixão se fortalece sempre ante um futuro que as amedronta.

5 Comments:

  • At 6:00 PM, Blogger Craudio said…

    Muito, muitíssimo belo. E verdadeiro. É o texto daquilo que eu vi e senti há quase três anos.

    Mulher, você. É isso que eu quero. E muito.

    Amo você!

     
  • At 7:54 PM, Anonymous Fofis said…

    Fiquei com ciúmes, mas o texto diz tudo... somos D+!!!! Não vejo a hora de fazer 30!!!!
    Também Te AMO!!!

     
  • At 9:08 PM, Blogger tatanca said…

    nuossa
    uau
    pro texto
    e pro cumpadi craudio
    vou colocar com recomendações lá no brógui
    amanhã? fiquei ansiosa agora pra te ver tbm
    beijo

     
  • At 1:42 PM, Blogger dedé said…

    aeee, eu tô mais perto dos 30 do que dos 20!

    ai mamãe!

     
  • At 2:52 PM, Blogger mais uma de mim mesma said…

    Como eu tenho 20
    não tenho nada a declarar
    ... ainda!
    hehehehe

     

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home